Loading...

terça-feira, 11 de setembro de 2012

De volta as passarelas

A minha história com a Ana,não iria simplesmente acabar assim.Apesar do nosso contato extremamente virtual,ela havia admitido que tinha gostado muito.Depois de um tempo,os assuntos foram acabando,e paramos de conversar durante um tempo,até que a festa de formatura foi se aproximando,e ela voltou a falar comigo no msn:
-Oi,tudo bem?
-Tudo,e você?
-Também.

Um pequeno silêncio se deu entre nós durante alguns minutos,porém ela resolver continuar a conversa:
-E ai,bateu em mais alguém depois de mim?
-Não sei...Porque?Está quer apanhar de novo é?

Perguntei de maneira irônica e atrevida,nunca esperando a resposta que me foi dada:
-E se tiver?O que você vai fazer?

Resolvi entrar na sua "brincadeira" e respondi,com o mesmo atrevimento:
-Vou fazer aquilo que seu papai não fez direito!
-Ai ai ai ui ui ui...safadinho...

Como da última vez,ja imaginei que aquela mente maquiavélica ja havia traçado um plano mirabolante e logo perguntei:
-Qual é o plano agora?
-Você sabe dirigir não sabe?
-Sim,mas não tenho carteira e nem vão me deixar pegar o carro.
-Aff...você é muito igênuo mesmo,e você acha que ja não pensei nisso?
-Acho que isso vai entrar na lista de suas malcriações...
-Adoro ser mal criada,ja deve ter percebido isso,e você gosta,então não reclama!Enfim,meu primo vai de carro,eu pego a chave dele.Perto do salão da formatura,tem um motel,sabe qual que é neh?
-Hum...motel...ta bem sapequinha hein!
-Uhum,e você queria o que?no banheiro do salão?Olha bem pra mim neh!
-É o motel mais caro da cidade...
-Não,é o melhor motel da cidade,relaxa,você sabe que dinheiro não é o problema,e mesmo se fosse,o dinheiro que você ganhou quando apostou que ia ficar comigo paga até a suite luxo!

Fui obrigado a engolir essa a seco.Mas como ela sabia da aposta?Achei melhor não perguntar e ela continuou a falar:
-Além disso,aquele dia não agentei muito porque não podia gritar,no motel seremos só nós e mais niguem por perto!
-Então ta dizendo que aguenta muito mais?ha ha ha.
-Vai ter muito mais trabalho.Não me subestime!
-Sim senhora.
-Ok Sr irônico.Depois da valsa,vão distribuir os chinelos,ai agente pega da uma despistada e vai!ai você pode aproveitar e estreiar ele.
-Ok.Aqui,tenho que sair!bjs
-bjs

Chegou o grande dia.A formatura estava marcada paras as 22 h. Cheguei era por volta das 23.Ela ja estava la.Simplesmente divina,mais linda do que o normal.Um vestido branco com rendas  e uma espécie de saia,que não sei dizer bem o que era. Não era um vestido longo,batia um pouco acima de seus joelhos.Não era nem folgado,e muito menos grudado tipo piriguete.Maquiagem ao ponto,cabelo mais que arrumado,uma sandália de salto alto que a deixava quase na minha altura.Simplesmente estava maravilhosa. Modéstia a parte,também não deixei por menos:vestia um terno super cem,acompanhado por colete de seda e sapatos.Uma camisa prata, cinto e gravata alinhados.

Comprimentei a todos,bebi alguma coisa,e logo começaram as homenagens.Depois das homenagens começaram a organizar a fila da valsa,mas houveram atrasos.Até que a valsa terminasse,ja passava um pouco de 1 da manhã.

Finalmente a valsa terminou,e começou mesmo a festa.Os primeiros casais da festa começaram  a se formar.Não demorei muito e agarrei ela também ja na festa.Dai fomos juntos para a fila dos chinelos.Ficamos juntos la nos agarrando até que pegamos nossos chinelos e bombons.Ainda na fila ela havia dito que o carro do seu primo era um Fiat stilo preto estacionado perto da pedreira.Eu vou primeiro e depois você vai sem deixar ninguém perceber.e eu ja vou estar dentro do carro.

Voltamos para o salão dei uma despistada com alguns amigos e depois deixei o chinelo na mesa.Ela ja foi até sua mesa deixou os bombons,tirou as sandálias e ficou com os chinelos dos formandos:uma havaians top branca com o simbolo da turma estampado na parte de trás. Vi ela saindo linda como estava e agora de havaianas,que combinavam com suas francesinhas nos seus lindos pés.Nem preciso dizer que ja comecei e me exitar nesse momento.

Fui logo atras,como haviamos combinado.Entrei no carro e ela estava no banco do carona.saimos logo e no caminhao ela perguntou:
-Não trouxe seus chinelos?
-Uai,você não disse que queria um tratamento especial?
-hum...só quero ver

Nisso ela começou a massagear meu Pênis(que ja estava em estado exitado) suavemente com sua mão esquerda.Chegamos ao motel,pegamos a chave,e fomos para o quarto ja nos agarrando dentro do elevador.
Ao entrarmos no quarto, logo tirei meu palitó e fui abrindo o colete e afrochando a gravata. Peguei seus cabelos longos e castanhos puxando-o pela nuca,foirçando-a a ficar de joelhos pra mim. Mandei que ela abrisse minha calça e a cueca boxer vermelha que estava usando e deixava transparecer muito a minha excitação. Ela começou a fazer oral,e quando estava prestes a gozar a primeira vez puxei novamente ela pelos cabelos,a levantei e logo depois a abracei de costas, de modo que  minhas mãos iam de encontro aos seus seios e minha boca ao seu pescoço,o que a deixou toda arrepiada.
Depois de deixar seu pescoço roxo, e ela toda arrepiada, abri o seu vestido,que caiu ate seus pes e depois foi jogado pra longe em algum canto do quarto. Joguei-a na cama de 4,ja semi nua e apliquei algumas palmadas que marcaram meu s cinco dedinhos no seu bumbum. Tirei o chinelo do seu pé e dei umas meia duzia de chineladas nao muito fortes e dizendo:
-você não queria um tratamento caprichado?
-Ainda não vi nada de mais-respondeu ela gemendo
-Mas estou só começando....

Dei mais 10 chineladas bem fortes nela,ela gritou e gemeu bastante.

Fui e peguei minha calça,nesse tempo ela perguntou
-Uai,ja parou???

Peguei o cinto dobrei ao meio,dei uma volta na mão e dei dois estalos respondendo:
-Claro que não...
Segurei ela ainda d e4 na cama apoiada sobre as mão e joelhos.Nossos corpos suavam.

Tirei o seu sutiã e logo depois sua calcinha e disse:
-Agora vai começar o seu tratamento especial.e você vai ficar quietinha...

Ela assim fez,e não reagiu
Dei-lhe a primeira cintada.sslllllllllllaaaaaaaaapppppppp Ela gritou,enquanto seu corpo ia pra frente e voltava.Dei-lhe a segunda com um certo intervalo,seu corpo fez o mesmo movimento,e novamente um grito prolongado de dor. Depois vieram as outras em sequencia slap,slap,slap,slap,alp....
Seus gemidos eram musicas para os meus ouvidos. Devo ter dado umas 20 cintadas em sua bunda.Ela chorava ao final.

Depois disso,enxuguei suas lagrimas nos beijamos, e ela,agora deitadas com as costas na cama. Voltamos a nos beijar e voltamos a transar como um casal normal.

Na segunda feira seguinte,ela tentava disfarçar o chupão no pescoço com o cabelo,mas os comentários foram inevitáveis.Depois disso,ela seguiu carreira de modelo e eu comecei a faculdade, o que nos afstou e deixou na memória essa linda história.

sábado, 23 de junho de 2012

a surra na "sogrinha"

Muitos ja devem ter ficado curiosos,porque sei que muitos devem querer,e muito,bater na suas sogras.Apesar de não ter grandes problemas com minha sogra, aconteceu em uma tarde de sábado. Na verdade,ela nem é minha sogra,mas é ma~e da minha vizinha,como sempre rolava de ficar com ela,é como se fosse,inclusive ela sabia que as vezes dava uns tapinhas caprichados no bumbum da filhinha e disse-me uma vez que até gostava porque ela ficava muito mais tranquila,obediente e prestativa.

Por mais hilário que pareça,este é um conto real. Estávamos eu e Michele no sofá agarradinho assistindo ao um filme,eu de bermuda,camisa e rider e ela de shortinho, camiseta e ipanema.Seu irmão estava na casa de um amiguinho .Enquanto minha sogra fazia a faxina dela. Percebi que estava meio aéria,coisa do tipo.Ela varria a sala,e em meio a isso ela puxou com a vassoura o cabo da televisão e do DVD. Foi o primeiro vacilo dela no dia.entaõ disse:
-Ta faltando atenção heim sogrinha
Ela nem mesmo pediu desculpas,apensa religou tudo e continuou a varrer.

Foi lavar a louça,e um tempo depois ouviu-se algo se quebrando na cozinha.Eu e Michele nos levantamos e fomos ver o que era. Minha sogra havia quebrado um prato.Com um olhar mandei michele juntar e cuidar dos cacos,e eu fui ver ela. Primeiro vi se havia algum corte,ou coisa do tipo.Passado o susto,enquanto michele limpava as coisas,eu puxei um cadeira da mesa da cozinha e imediatamente coloquei ela em meu colo.Ela meio sem entender nada só percebeu quando levou o primeiro tapa na bunda com toda a força ppppllllllllllllllaaaaaaaafffttttttttttttttt e gritou um sonoro aiiiiiiiii

segui mais 20 palmadas na bunda dela.Ela estava com uma camisa branca bem folgado e um pouco molhada,e um bermuda legue azul bem justa e com uma ipanema rosa não muito nova,mas tambem nao muito velha.E assim ela levou cada palmada
Plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft,plaft
e depois de gritar e espernear um pouco, soltei-a.

Em uma reação bem atipica,ela não ficou nervosa,ficou acariciando a propria bunda ardida das palmadas.Ela pediu licença e foi para o quarto.Michele não conseguia esconder um risinho de deboche lavando a louça que estava por terminar.Entao cheguei por tras com a mão na cintura,e algumas mordidas na orelha,e quando desencaminhava minha mão para o fecho de seu short sua mãe saia do quarto falando:
-Nossa filha,que mão pesada ele tem hein...
Michele respondeu quase rindo:
-iiiiihh...reclama não,ele nem te bateu direito...
-Não...imagina,eu com 44 anos nas costas apanhando de um muleque de 18,e voce diz que ele nem me bateu...
-Não bateu mesmo não,se fosse eu ele tinha pegado o chinelo e me deixado pelada antes de bater.
- E tinha batido mais-completei meio de inxirido...

Apesar do Tom da conversa,havia uma discontração nas palavras.Ficamos mais algum tempo conversando sobre isso,como a filhinha dela apanhava bastantee coisa e tal e terminamos a conversa ameaçando minha sogra:
-to indo sogrinha,mas se a michele me falar que quebrou mais alguma coisa,volto e capricho no seu bumbum ta!!!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Agora é cientifico!


Sadomasoquismo faz bem para o relacionamento

Um tapinha pode até doer, mas, no fim das contas, faz bem. É o que apontam dois estudos, de universidades dos EUA, que acompanharam 58 casais a festinhas de S&M e mediram as reações hormonais de cada um às brincadeiras que rolavam por lá.
Os pesquisadores observaram que, no geral, os níveis de cortisol (hormônio relacionado ao estresse) de quem estava sendo dominado iam lá em cima no início das atividades, mas caíam conforme os estímulos progrediam – e, aparentemente, batia o prazer.
E, questionados depois de tudo, os casais que avaliaram a experiência S&M como positiva disseram que saíram da festinha pesada sentindo-se mais próximos do que antes. Óun. Choque: mesmo entre os casais que não curtiram o que tinha rolado, parte deles avaliou que, mesmo assim, foram embora mais unidos. E aí, vai experimentar?

terça-feira, 10 de abril de 2012


Conto real

 Escrito por Claudia sub
Namorei um homem durante 02 anos, ele que me iniciou na prática do spanking. Desde criança sempre fantasiava um quarto de castigos e muitas surras, só não sabia que naquela época já era mante dessa arte. Na minha infância só apanhei 01 vez, mas durante nosso namoro...... foram muitas surras e castigos.
A mais excitante é a que vou relatar aqui:

Era noite de sábado, já estava pronta, pois ele havia avisado que iríamos a uma festa na casa de uns amigos dele que eu ainda não conhecia.
Eu usava um vestido verde, justo e decotado em cima, rodado na saia, na altura do joelho, por baixo lingerie branca de algodão, a preferida dele.
Ele estava muito bravo comigo, pois no dia anterior, havia respondido de forma muito grosseira a uma ordem que ele teria me dado. Fiquei cismada, porque ele não me castigou na hora, apenas disse que estava guardando para hora certa meu severo castigo. Se eu soubesse como seria severo..... teria atendido suas ordens......
Bem, fomos para a festa, tinham apenas 08 casais em um belíssimo apartamento na zona sul de São Paulo, chegando lá, ele mandou que eu fosse muito simpática e ajudasse a servir os convidados.
Servi drinques, tira gosto, lavei e guardei copos, fui muito prestativa, pois queria deixa-lo feliz. Quando estava para guardar a última bandeja de copos, virei meu salto e a bandeja caiu, quebrando todos os copos. Foi um silêncio mortal entre os convidados e senti que faíscas saíram de seus olhos em minha direção, gelei dos pés a cabeça, pois sabia que havia selado ali meu severo castigo.
Ele me olhou no fundo dos olhos e deu uma ordem seca e direta:
“Limpe tudo muito bem e em seguida venha para o sofá”
Apresei-me em obedecer, quando voltei à sala, mal pude acreditar no que via: ele estava ao lado do sofá, com o cinto de couro que geralmente me batia nas mãos. Ele nunca havia me castigado na frente de ninguém, nem comentávamos com nossos amigos o que fazíamos, e eu não queria que isso acontecesse na frente dos amigos dele. Mas, o meu querer não importava naquele momento.
Ele mandou que eu ficasse de joelhos no sofá, baixou minha calcinha e me fez arrebitar a bunda. Ali começou um sermão e uma narração para os convidados de todas as minhas malcriações e rebeldias dos últimos dias, de como ele me castigava quando era preciso e o quanto isso servia para me ensinar. Isso pareceu durar uma eternidade, estava muito envergonhada e humilhada, pois além de levar uma bronca como se fosse uma criança, estava exposta ali, sem calcinhas, com a bunda pra cima e ainda todo mundo iria me ver apanhar.....
Quando ele terminou o discurso, disse que eu levaria 40 cintadas e ficaria o resto da festa de cara para a parede, com o bumbum à mostra para que todos vissem as marcas.
Quando ele começou a bater, senti toda a excitação que aquele momento trouxe para ele em cada cintada, fazia muito tempo que ele não me batia tão forte, a cada cintada, o vergão levantava na hora e minha pele queimava de dor.
Para nós era algo novo, na sala havia um misto de excitação e compaixão dos presentes.
Eu me senti muito humilhada, a surra doeu como a muito não sentia, as marcas levaram 15 dias para saírem, mas nunca senti tanto tesão ao apanhar como naquela noite, minha boceta, escorria um liquido quente e latejava de tanto prazer.
Fiquei de castigo até a hora de sair, na festa ninguém falava comigo, mas ele foi bombardeado de perguntas e comentários, pois acho que todos ali gostariam de estar em nosso lugar....
Fomos para casa, assim que saímos da festa, ele voltou a ser só meu namorado, com todo carinho, amor e cuidado que sempre me tratava depois dos castigos e surras.
Chegando em casa, fizemos o melhor sexo de toda nossa relação, foi a noite toda de orgasmos um atrás do outro, uma ereção após a outra...
Às 07hs da manhã, estávamos na padaria tomando café, eu sentada com o auxilio de uma almofadinha e ele com um olhar que eu conhecia e sabia que era de quero mais.

                                               Foi maravilhosoooooooooooooooo!!!!!!

uma surra quase magica!

http://www.spankingtube.com/video/14501/pixie-s-fantasies-vol-1

Hagrid aplicando uma surra!As mina pira na magia do spanking!muito bom.
Foco em 1minuto.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Na casa das primas.

Nesta ultima semana retornei a casa de uma prima.Carol,que ja foi protagonista de um de meus primeiros contos aqui(http://spankingadolescente.blogspot.com/b/post-preview?token=-lbq2jUBAAA.2tyGytXhYqVoythUyvc_0Q.oWkgLr0dApK3ssVkee9c6w&postId=6377273217102049658&type=POST)
Iria passar dois dias na casa de minha tia.Cheguei la na segunda a noite ficaria terça e quarta retornaria a minha casa.

Chegando a casa da prima,havia percebido que esquecera meu chinelo em casa.Sendo que ha males que vem para o bem,meu primo mais novo me emprestou um kenner que caiu perfeitamente em meu pé.Um modelo verde com a sola roxa,levemente gasto e um pouco sujo de tinta creme,aparentemente de tinta guaxe.

Logo no jantar de segunda a noite,começaram as provocações de carol,que sempre foi muito bonita e com 18 anos,estava bonita e bem safadinha.Estava com uma camisola branca com uma bailarina estampada e com uma havaianas da Pucca.Ela jogava suas pernas a se entrelaçar nas minhas por debaixo da mesa.E eu sentia seus dedinhos dos pés roçando minhas pernas.Estava ficando exitado e desconcentrado com isso,mesmo assim agia normalmente a mesa.

Nisso,minha tia que trabalhava muito,pediu para se retirar e mandou Carol que arrumasse a cozinha.Depois de   algum tempo,Matheus meu primo também se retirou.Como eu iria dormi na sala,só faltava ela subir,mas ainda tinha que lavar a louça.

Depois de algum tempo conversando ela se levantou da mesa e disse:
-Vou subir,boa noite.
Eu perguntei por ousadia e com ironia:
-Não vai lavar a louça não?
Atrevida como sempre respondeu:
-Se não for vai fazer o que,me bater???
Neste momento levantei-me e me dirigir a ela que ja estava na ponta da escada.Coloquei minha mão nas suas costas puxei-a dois degraus abaixo até que ficasse no mesmo nível em que eu.Enfiei minha mão por debaixo de sua camisola que ja não era muito grande e apertei uma de suas nádegas com carinho dizendo:
-Merecendo você esta!

Logo depois nos beijamos na escada e depois ela subiu dizendo que iria arrumar amanha de manha.

Na manhã seguinte,Matheus ja havia saido para escola e minha tia para trabalhar.Depois que acordei fui e me troquei,Coloquei uma calça jeans e uma camisa,além do chinelo kenner.A mesa do café estava posta,e então comecei a comer.Estava eu a mesa quando Carol começou a descer as escadas e sentou-se para tomar café comigo.

Após o café perguntei meio que de atrevimento:
-Agora você vai arrumar a cozinha?
-Vou neh,Fazer oque.Mas antes vou la em cima trocar de roupa.

Ela subiu novamente,e desceu com um shortinho jeans muito apertado,e um tomara que caia e lógicamente com seu chinelo.e começou a limpar a cozinha.Eu da mesa,assistindo televisão só observava.

Ela puxou assunto enquanto lavava a louça:
-Sabia que você ficou até bunitinho de kenner?!
-Bunitinho é?
-É...não ficou parecendo funkeiro...

Conversamos mais um tempo,até que quando ela estava acabando de lavar a louça,pedi que ela viesse até mim.Quando isto aconteceu,disse:

-Muito bem,agora você va apanhar por não ter feito isso ontem.

Ela não esboçou reações contrarias,no que puxei até meu colo ela se deixou levar.Abaixei seu shortinho sem grandes dificulades então,apreciando seu bumbum com uma calcinha estampada com melancias ja comecei com palmadas fortes

plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf..............

Ela continha seus gritos,e soltava pequenos gemidos de dor.E eu pesava a mão cada vez mais

plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf plaf............

Depois de uns 10 minutos com palmadas initerruptas,parei alguns instantes,e a ajoelhei ao meu lado
Ao descalçar o chinelo direito mandei que o pegasse de 4 com a boca e o colocasse em minha mão.Ela assim fez.Obedecia a tudo que eu mandasse como uma boa sub.
Puxando seus cabelos a retornei ao meu colo,e enquanto acariciava sua bundinha ja bem vermelha como chinelo perguntei:

-Quantas chineladas você acha que merece?

Ela ficou em silêncio,então lhe apliquei duas chineladas,uma em cada nadega
PLAFT PLAfT

-Eu te fiz uma pergunta,e é pra você responder
-Desculpe.Não sei,umas 50??

Esperava que com o medo ela pedisse poucas chineladas,mas ja que pediu 50,resolvi atender ao seu pedido.

PLAFT....PlAFT.....PLAFT......PLAFT.......

Batia calmamente,e bem forte,chinelada por chinelada,deixava arder uma por uma até aplicar a próxima em outra banda.

PLAFT....PLAFT......PLAFT..........PLAFT...


Após ás primeiras chineladas,seus gritos ja não eram mais contidos,e algumas lágrimas ja saiam timidas de seu rosto.Então continuavam as chineladas uma a uma alternadas em suas bandas.

PLAFT........PLAFT........PLAFT.......PLAFT..............

Eu contava cada chinelada em meus pensamentos,e não economizava na força.Cada chinelada era um grito,e cada grito entrava em meus ouvidos como um singela sinfonia.Ao chegar por volta da 20° chinelada seu choro ja era explícito,e ja começava a soluçar.Quando cheguei na 30° chinelada sua bunda ja estava bem vermelha,e suas lagrimas molhavam o chão.Dei uma pequena pausa neste momento para acariciar sua bundinha avermelhada,que exalava calor.Por alguns segundos ela sessou o choro.Então mandei que ela contasse regressivamente as ultimas chineladas.

Uma a uma fui aplicando as chineladas,e ela como uma boa menina obedecia

PLAFT...20,PLAFT...19,PLAFT...18,PLAFT...17,PLAFT...16...

E assim se seguiu,calmamente chinelada por chinelada,banda por banda,grito por grito,lagrima por lagrima.
Quando cheguei à 10° chinelada,Apliquei as últimas 10 chineladas em um série mais rápida

PALF PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT PLAFT........

Ela gritou se contorcendo em meu colo.Quando larguei o chinelo,ela respirou fundo como se estivesse aliviada.

Após isso,fomos para o sofá da sala onde "acabamos de conversar",Quando acabei,ela se prontificou a começar a fazer o almoço.

Quando foi por volta de 1h da tarde,meu primo chegou,e dai em diante,minha estadia na casa de minha tia em meus ultimos dias de férias antes de começar a faculdade se deu na mais alta normalidade,ou quase isso!


terça-feira, 6 de março de 2012

http://www.spankingtube.com/video/13823/mistress-paige-bailey-100-slippers

Exelente video de chineladas!Merece ser postado e compartilhado!